Isto é conversa fiada.

O que se vai sabendo é que são colocadas duas hipóteses: agrupas já com quem dizemos ou agrupas para o ano com o quem sobrar?

MEC ouve diretores e receberá propostas para fusão de agrupamentos

Repito o argumento: os directores são órgãos executivos. O MEC deveria, em coerência, reunir com os Presidentes dos Conselhos Gerais, mas parece que o 75/2008 já tem tanto interesse como a LBSE em 2008.

O esforço concentracionário da rede escolar é o erro mais profundo a atravessar esta última década. Como as super-esquadras de inícios dos anos 90, estes super-agrupamentos vão tornar-se profundamente ineficazes em termos de qualidade de gestão. Se permitem poupar dinheiro, não sei. Mas se permitem num primeiro momento, tenho a certeza que a médio-longo prazo demonstrarão a sua ineficiência,

Em complemento, ler este post do Paulo, porque há quem a tempo tenha avisado…