Arménio: a greve foi um sucesso retumbante, estiveram paralisados estes e estes e estes serviços, a adesão foi de 143,3% aqui e de 57,9% ali, o que dá globalmente uma média de 100,1%, o que está exactamente 0,1% acima das nossas expectativas. O povo português e os trabalhadores, em particular, estão de parabéns por mais esta jornada de luta, que transmite ao país o desagrado contra esta política de saque, exploração e empobrecimento que cede aos interesses neoliberais dos grandes grupos económicos, à custa da qualidade de vida dos trabalhadores e dos portugueses, em geral.

Miguel: a greve é um direito, mas o país continuou a funcionar. Em alguns pontos trabalharam mais funcionários do que é habitual e adesão oscila entre os 0,001 na rua da sede da CGTP e os -0,001 na travessa do Possolo, o que dá uma adesão de 0%, o que está 0,1% acima (ou abaixo) do esperado. O Governo continua unido a trabalhar para recuperar o país e a economia, no que as reformas estruturais que estamos a implementar são decisivas e nesse quadro o acordo conseguido sobre as matérias laborais em sede de concertação social é uma peça fundamental.