é papelada, papelada e mais papelada. Sei porquê, pelo medo.

Adenda: “A única coisa que devemos temer é o medo em si, um terror sem nome e sem razão, que paralisa os esforços necessários para converter a fuga em avanço.”

Franklin D. Roosevelt (primeiro discurso presidencial, 4 de março de 1933)