A página que se segue é retirada de uma peça da Visão desta semana. Apresenta seis níveis de utilização da net. A generalidade dos frequentadores do blogue, assim como eu, usam(os) os dois primeiros níveis, mesmo quando nos ligamos a redes sociais ou quando se usam nicks, mas sem disfarçar a origem da navegação.

Já os mafarricos que navegam anonimamente, que usam técnicas cyberstalking e outras formas de actuação cobarde, usam recursos pelo menos o nível 3 (o 4º de profundidade) que está – adequadamente – bem mais próximo do lodo virtual do que da luz. É o nível da pirataria informática.

O objectivo é, teoricamente, não serem detectáveis, mas os maus aromas notam-se por muito que se encubram. Há quem, não tendo vivido a clandestinidade real, mesmo quando fabricam passados, resvalam para pseudo-clandestinidades virtuais, em busca de um heroísmo bacoco, que a penugem que lhes sobra na nuca deveria desaconselhar. 😆

Visão, 1 de Março de 2012