… dos 50 anos do navio-escola Sagres. Como achei assunto mais social que político, divulguei-a primeiro no FBook onde foi acolhida de uma forma meio estranha, em particular pelo público feminino, incapaz de se concentrar na embarcação e sempre a apontar detalhes relacionados com a decoração envolvente.

  • Para que fiquemos esclarecidos, esta é das mais sentidas homenagens à marinha nacional de que me recordo nos últimos tempos, se exceptuarmos a aquisição de submarinos pelo ministro Portas.
  • Em seguida, gostaria de destacar que o facto de os móveis parecerem do tipo IKEA não é motivo suficiente para criticarem esteticamente a opção de quem captou a imagem do navio.
  • O facto das velas estarem muito brancas apenas significa que foi usado um bom detergente nas lavagens, o que muito preza os nossos homens do mar, neste momento de aguda crise.
  • Chamou-me também a atenção o facto de, do lado esquerdo da imagem, parecerem estar elementos decorativos relacionados com o Oriente, nomeadamente katanas, ao que me parece e avaliar pelo que serão os cabos.
  • Não, não consigo identificar a planta que estão na jarra/vaso.
  • Não, não dá para perceber se foram cumpridos os requisitos básicos determinados pelo Feng Shui. Apesar de se notar que a luz vem do lado direito, sem sabermos a hora da foto, é difícil determinar a orientação dos pontos cardeais.

Por fim, é sempre agradável notar que uma imagem sobre a marinha nacional desperta mais comentários e reacções do que um excerto, digamos assim, de um Sartre ou de um Céline.