Mas é apenas porque desconfio de ambos os autores, em virtude da mitomania que os envolve.

Sócrates tem “memória doce” de discussão “gravíssima” com Soares