Os encargos com o pessoal desceram brutalmente desde 2005 e estão aos níveis mais baixos de sempre. As alterações orgânicas do ME(C) complicam um pouco as comparações, mas ainda são possíveis.

Neste contexto, os 102 milhões de euros de que se fala não são uma gota tão pequena como seria há uns anos, mas também não são um lago. Anda por 2,5% dos encargos com o pessoal. Numas contas apressadas de merceeiro, a existirem cerca de 110.000 professores em exercício nos 2ºCEB, 3ºCEB e Secundário e nuns cálculos directos e nada sofisticados isso dá o equivalente a 2750 docentes a valores médios.

Mas apresento isto como mera pista… sei que as contas não se fazem apenas assim.