Sexta-feira, 9 de Dezembro, 2011


Beirut, Forks and Knives

FENPROF e FNE reúnem-se no ministério para discutir as alterações à carreira docente, federações receiam despedimentos… a FNE receia pouco.

“Sendo sobejamente conhecida a especial sensibilidade do Presidente da República para a ‘justa e equitativa repartição dos sacrifícios’, o STE espera que o mesmo solicite ao Tribunal Constitucional a apreciação prévia da constitucionalidade das normas em causa”, lê-se num comunicado do sindicato divulgado há pouco.

Os ingleses são lixados.

Pessoalmente… gostei!

Mais décima, menos décima, o que se sente no bolso comum é muito mais do que isso.

INE refez contas e constatou recessão mais profunda

E quando re-re-refizerem as contas?

Who’s Responsible For the Euromess?

Iniciativa Legislativa de Cidadãos Contra o AO, aqui.

Escolas da Parque Escolar estão para arrendar na Internet

Os espaços das escolas intervencionadas pela Parque Escolar estão para arrendar na Internet. “Somos a maior oferta de espaços do país”, sintetiza aquela empresa pública na sua nova página digital (http://espacosnasescolas.parque-escolar.pt). No catálogo, lançado em Outubro, são apresentadas 90 escolas secundárias e disponibilizadas fotografias e descrições dos espaços que podem ser arrendados: anfiteatros, auditórios, pavilhões desportivos, campos exteriores, ginásios, salas de aulas e bibliotecas. Existem escolas que disponibilizam todas as categorias.

Mas o dinheirinho reverte para a Parque Escolar, salvo excepções que irão desaparecer. A tal empresa que era para extinguir, mas ficou porque gera receita, seja lá como for.

Que não se perceba que esta forma de gerir o espaço das escolas é pouco dignificante (pois inclui salas de aula, as bibliotecas e tudo o mais) é apenas sinal dos tempos e da insensibilidade de quem admite tudo isto.

Realmente, ou há acordo ou não há. Ficar a meio, usando-o apenas numas partes, logo num site do ME, é estranho:

Caro colega,
DGRHE – o desnorte!
O novo acordo baralhou a cabeça de muita gente, entende-se, mas aqui deveria haver outro cuidado!

http://www.dgrhe.min-edu.pt/web/guest/contactos

Contatos?!? – mas alguém fala assim?

Selecção – então aqui não caiu?!?

Eléctrico – e o que faz ainda o C?

http://www.dgrhe.min-edu.pt/web/guest/contactos

L.

Leio com espanto na página 16 do Sol:

Ao SOL, o gabinete de Nuno Crato assegura que «durante as negociações sobre o novo modelo de avaliação do desempenho docente ficou acordado com os sindicatos que se procederia à publicação dessas alterações». Segundo o gabinete do ministro, «ficou consensualizado com todos os treze sindicatos que ao proceder à republicação seria necessário fazer-se a adaptação da designação da relação jurídica laboral de acordo com a lei nº 12-A/2008». Aliás, o MEC frisa que este acordo ficou «registado em acta».

Isto não bate certo com o que a Fenprof afirma.

Venham, portanto, as actas…

Maratona de cartas 2011

A Maratona de Cartas é o maior evento de Direitos Humanos e, este ano, realizar-se-á de 3 a 17 de Dezembro. Durante estes dias milhares de pessoas espalhadas pelo mundo terão a oportunidade de escrever cartas em prol de indivíduos e comunidades em risco. O objectivo é chamar a atenção para estes casos, o que poderá resultar numa melhoria das condições dos indivíduos e comunidades visadas.

No ano passado conseguimos aproximadamente 636.000 cartas em mais de 50 países. Este ano contamos com a sua ajuda para ultrapassar este número. Quantas mais cartas forem enviadas, maiores serão as possibilidades da melhoria das condições dos 5 casos que este ano iremos defender.

Você também pode organizar uma Maratona de Cartas
Poderá organizar uma Maratona de Cartas na sua escola, no seu local de emprego ou noutro local onde possa juntar pessoas que queiram participar neste tipo de actividades. Saiba como aqui.

O que é necessário
Necessitará das respectivas autorizações dos locais e de material, como uma mesa, computador (opcional), papel, envelopes, canetas e uma caixa para depositar o valor do selo (0,68€ para a Rússia e 0,80€ para os restantes países). Caso não seja possível recolher dinheiro suficiente para colocar as cartas no correio, poderá enviá-las para a Amnistia Internacional Portugal e nós encarregamo-nos delas.

Informação e divulgação
Pedimos que informe a Amnistia Internacional sobre o evento que pretende realizar, pois ajudaremos na divulgação através da nossa página e enviaremos os materiais para a Maratona. Os pedidos de material e de informação devem ser enviados para: a.monteiro@amnistia-internacional.pt

Pedimos também que nos envie (para o mesmo email) o documento do feedback da actividade (para contabilizarmos o total de cartas escritas em Portugal) e o documento com os contactos das pessoas que pretendem receber informações sobre a Amnistia Internacional Portugal. Poderá também partilhar connosco as fotografias do evento.

Saiba mais sobre como pode organizar a maratona de cartas.

Se não tiver a possibilidade de organizar uma Maratona de carta, poderá ser sempre assinar as cartas individualmente.