Não está em causa se Strauss-Kahn foi tramado ou não por alguém. O que está em causa é uma frase absolutamente inenarrável de Clara Ferreira Alves na Única desta semana.

Sete minutos nunca dariam para violar brutalmente uma mulher violenta

No que se baseia CFA para este tipo de afirmação? Que estudos consultou? Que experiências de violação analisou? Escreve isto a olho? Acha que que uma violação tem de ter uma duração padrão de quantos minutos? Não considera que o factor “corpulência” pode ser o exacto motivo porque as coisas possam não ter maior desenvolvimento?

Mas que raio de argumento é este?

Sobre o assunto há muita literatura, embora sobre a duração dos incidentes de violência sexual ocasional/violação nem tanto. Fica aqui uma leitura interessante e um depoimento recolhido num site de apoio a vítimas:

My rape did not last very long because he stopped mid-way because I think he was afraid somebody was starting to hear it. Probably a matter of minutes, although those minutes replay in my head like a broken record. I can’t seem to get it to stop. Even though it was short it’s having a really bad effect on me. Does anyone else have this problem or how long do most rapes last for?

CFA talvez também tenha interesse em ver alguns dos comentários que lá estão.

Obviamente, gostaria que quem comentasse o fizesse com algum peso e medida porque o assunto não é para graçolas fáceis e de mau gosto. Ficam já avisado(a)s que eliminarei os comentários que se excederem nestes aspectos ou que optarem por ofensas gratuitas e acho que percebem bem as razões para tal.