Estado gastou mil milhões em 14 empresas públicas

(…)

As empresas mais endividadas pertencem ao grupo Parque Expo, continua a entidade liderada por Oliveira Martins, “ela própria [Parque Expo] com cerca de 237,440 milhões de Euros, que, por si, representa 54% da dívida total, a GIL, cuja dívida contraída atingiu o montante cerca de 86,892 milhões de Euros (20% da dívida total) e a Marina do Parque das Nações, que apresenta uma dívida no montante de 19,975 Milhões de Euros, significando aproximadamente 4% da dívida total. No seu conjunto, perfazem cerca de 80% do montante de dívida global”, segundo o TC.

Segue-se a empresa Viana Polis, com um endividamento de 35,78 milhões de euros, cerca de 8% da dívida total. As restantes dez empresas representam cerca de 14% da dívida total.

O TC analisou neste trabalho a Edab – Empresa de Desenvolvimento do Aeroporto de Beja, a Naer – Novo Aeroporto, a Rave – Rede Ferroviária de Alta Velocidade, a Parque Expo98, a CostaPolis – Sociedade para o Desenvolvimento do Programa Polis na Costa da Caparica, a Viana Polis – Sociedade para o Desenvolvimento do Programa Polis em Viana do Castelo, a Frente Tejo, a Polis Litoral Ria Formosa, Polis Litoral Norte, a Polis Litoral Ria de Aveiro, a Porto Vivo SRU – Sociedade de Reabilitação Urbana da Baixa Portuense, a Coimbra Vivo SRU – Sociedade de Reabilitação Urbana, a GIL – Gare Intermodal de Lisboa, e a Marina Parque das Nações – Sociedade Concessionária da Marina do Parque das Nações.