… é que já vou em quatrocentos e tal números da Visão e ainda não descobrir uma certa vocação por tratar assuntos relacionados com a Educação e, mais especificamente, com os professores.

Esperem… cheguei ao nº 498. Mas ainda colectivo e simpaticozinho. Eram os restos da paixão.

Como já tinha passado o ano de 2010 em revista dá para ver o ponto de partida e o de chegada. Agora vou preencher os espaços em branco.

Isto é giro.

E nem preciso ir à Biblioteca Nacional ou à Hemeroteca.