… o melhor é andar prevenido…

A fusão de História e Geografia no 2.º e 3.º ciclos não é um assunto adormecido e acaba de despertar numa altura em que os cortes no setor educativo têm estado na ordem do dia. A anterior ministra da Educação tinha falado nas duas disciplinas precisamente como um exemplo de áreas curriculares que poderiam passar a semestrais, no âmbito da revisão curricular. Nessa altura, os docentes não colocaram de lado a hipótese das cadeiras semestrais desde que essa medida não implicasse a redução da carga horária. O tema poderá voltar a entrar na agenda do Ministério.

Eu acharia melhor que não voltasse a entrar, já que se afirma que terá saído. A parte da aceitação das cadeiras semestrais parece-me que terá sido mais ao nível de alguns representantes distraídos. Leccionar História aos solavancos, um semestre por ano lectivo é um paradoxo daqueles que até poderia ser divertido se não fosse demasiado ridículo. ensinar a evolução ao longo do tempo aos saltinhos.

De qualquer maneira esta peça (de dia 4) acaba por confirmar parcialmente as minhas reservas de 2ª feira passada sobre alguns aspectos da entrevista de Nuno Crato ao Público.

Anúncios