Mas estou cansado para, a esta hora, produzir análise mais detalhada. Mas digamos assim: o trabalho de desgovernança do sector nos últimos anos tem dado os seus resultados:

Exames difíceis afastaram escolas públicas do topo dos rankings

As escolas públicas não resistiram a exames mais difíceis. No ensino básico e secundário nenhuma figura entre os 20 primeiros lugares das tabelas feitas com base nos resultados dos exames nacionais, os chamados rankings. No ano passado ainda existiam quatro neste primeiro pelotão, duas por cada nível de ensino.

Não estou feliz com o desempenho da minha escola, mesmo se não sou professor do 3º CEB. Embora mantendo o primeiro lugar concelhio, a queda foi brutal. Seria motivo para reflexão, mas…