… e nem deve saber onde se situa no mundo.

Número de aulas e disciplinas reduzido

Reforma passará por corte nas aulas de História e Geografia e fim da segunda língua estrangeira obrigatória.

Não é espanto nenhum este tipo de opções, as mesmas que Sócrates e Maria de Lurdes Rodrigues colocariam em prática.

Não é só a questão da poupança que está em causa, é também as áreas que se pretendem sacrificar na tentação de criar gerações despojadas de uma identidade que as contextualize num tempo e num espaço.

O Homem Novo, como em topdos os projectos totalitários, deve ver a sua Memória destruída, para que desconheça o nanismo do tempo presente.

È verdade, defendo a disciplina em que me formei por gosto, não por negócio, em que permaneço por opção, não por imposição.

Nuno Crato, a confirmarem-se estas opções, ficará para a História da educação como uma Maria de Ludes Rodrigues 2.0, não como versão melhorada, mas como clone esvaziado de convicção própria.