A sério. E digo mais: há quem deveria estar de baixa permanente que fazia melhor aos alunos do que estar a trabalhar sem condições.

70 mil atestados passados em 4 meses a professores

(…)

Entre outubro de 2010 e janeiro deste ano foram passados 70 031 atestados a professores, o equivalente a 514 mil dias de baixa.
.
Dá um pouco mais de 7 dias de baixa por cada atestado. Como doença parece-me pouco preocupante. Seria interessante conhecer os pretextos e quantos professores recorreram a atestados porque não foram 70.000. O mais certo é ter muitos professores que renovaram mensalmente atestados devido a doenças prolongadas, por não lhes ter sido concedida redução da componente lectiva.
.
Já agora, vamos voltar a estas habilidezas de spin?
.
Igualmente interessante: para quando um estudo sobre a maravilhosa ausência de faltas por parte de quem tem por missão validar as faltas alheias (e as próprias)?