Segunda-feira, 26 de Setembro, 2011


Fuck Buttons, The Lisbon Maru

Inspiração, via FB, colhida no Manuel Sanches.

Nunca o fizeram, nem sequer nos dias mais negros, contra quem diziam ser inimiga(o) figadal de forma personalizada e direccionada.

Mas fazem-no agora, pela segunda vez, contra um representante de nada nas suas próprias palavras.

Podiam ter razões mais construtivas e criativas para criarem hate-blogs.

Mas as minhas costas são largas e a paciência imensa para os ressabiados.

Foi a expressão que a minha petiza usou para me qualificar quando, antes mesmo de dormir, me perguntou quantos anjos ainda eu iria ser professor e eu respondi que uns vinte.

Pelo menos para os três primeiros temas, salvo imprevisto de última hora. A moderação interventiva será minha nos três casos. Daqui por uns dias já deve existir material gráfico

  • Liberdade e Educação (7 de Outubro, 18.30 com Ana Drago, Francisco Vieira e Sousa e Helena Matos)
  • Igualdade e Educação (14 de Outubro, 18.30 com José David Justino, José Manuel Fernandes e Paulo Prudêncio)
  • Equidade e Educação (21 de Outubro, 18.30, com Miguel Reis, Miguel Tiago e Ricardo Silva)

Queixarem-se que isto fique no spam. Consta que isto é professor e não do básico ou secundário.

Testemunho chegado por mail com a devida identificação de quem remeteu:

Paulo,

Vive-se um verdadeiro “lamaçal” nas escolas. Como é possível uma escola ter mandado professores a DACL e agora serem lá colocados outros DACL´s? Estou a falar do meu agrupamento, onde o diretor mandou 2 professoras do 1º CEB a DACL, e agora vejo que hoje foi colocada lá…também uma DACL para uma vaga que existia…ainda continuam a faltar professores…mas as colegas que eram do quadro de escola, entretanto movidas para quadro de agrupamento, foram à vida…Isto está a bandalheira! Principalmente porque era do conhecimento de todos o “amor” do diretor pelas pessoas em questão…Querem dar mais autonomia na escolha dos docentes? Pelo amor de Deus…hoje eles, amanhã nós!!! Haja transparência! Uma das colegas é sindicalizada, mas ninguém faz nada…

Cumprimentos.

R.

Há algum tempo atrás dei apoio a uma reclamação e depois recurso hierárquico para a respectiva DRE que protestava quanto a uma situação equivalente.

A Direcção alegou o desconhecimento, à data da elaboração dos horários, do número exacto de turmas que iriam abrir no ano lectivo seguinte (o que era corrente, no agrupamento em causa, ser falso) e a DRE fez por engolir e considerou improcedente o recurso.

Recebi, por exemplo, dois relatórios distintos sobre o mesmo aluno, assinados em parte pelas mesmas pessoas, entre as quais uma técnica especializada, a dizer exactamente o contrário um do outro sobre a sua maturidade cognitiva. Deve ter sido um salto quântico intelectual em três meses. Ou então… outra coisa…

Se os modelos que por aí têm andado de ADD detectam isto?

Não. E se detectarem, de nada serve. Com sorte é apenas uma cruzinha fora da linha, se tiverem coragem para isso.

Página seguinte »