Quarta-feira, 21 de Setembro, 2011


The Gift, The Race is Long

A culpa é de um vírus numa impressora.

Já vi isso num filme.

Conforme aflorado ontem, vou colaborar com a CE Livrarias na realização de um conjunto de debates  sobre Educação na Livraria Buchholz, ao longo das 6ªas feiras de Outubro, pelas 18.30.

Os temas com painéis já praticamente estabelecidos serão:

  • Liberdade e Educação (7 de Outubro)
  • Igualdade e Educação (14 de Outubro)
  • Equidade e Educação (21 de Outubro)

Os convidados já confirmados (salvo imprevisto de última hora) são, por ordem alfabética:

  • Ana Drago
  • Francisco Vieira e Sousa
  • Helena Matos
  • José David Justino
  • José Manuel Fernandes
  • Miguel Reis
  • Miguel Tiago
  • Paulo Prudêncio

Ainda está em dúvida um par de nomes, mas está quase tudo definido e será divulgada a arrumação final. A moderação interveniente será, em princípio, minha nos três debates.

Para dia 28 está ainda em preparação, em colaboração com a Bárbara Wong um painel com um conjunto de jornalistas convidados sobre Os Média e a Educação.

Mesmo, mesmo a acabar a entrevista de ontem

Passos Coelho sobre a avaliação de professores: “Orgulho-me muito que o governo, em menos de três meses, tivesse resolvido um problema que se arrastou durante mais de três anos”

O acusador forçado e embaraçado:

Madeira: Inquérito-crime «não é contra ninguém», diz PGR

O procurador-geral da República (PGR) disse hoje que, ao mandar abrir um inquérito-crime ao caso da ocultação de dívidas públicas da Madeira, a investigação «não é contra ninguém», mas para «apurar eventuais ilícitos penais».

O acusado pavoneante que sabe que nada lhe acontecerá (e há bocado na RTPN alguém explicava porquê):

Jardim agradece inquérito-crime

O presidente do Governo Regional garante “não temer” as consequências da investigação anunciada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) às contas da Madeira.

Passa por aqui uma evidente falta de decoro, que nem precisa muito de demonstração…

PS incentiva professores a processarem Ministério

«Há professores que estão irremediavelmente prejudicados», diz vice-presidente da bancada parlamentar socialista.

O PS incentivou, esta quarta-feira, os docentes prejudicados no processo de colocação de professores a accionarem os mecanismos legais para responsabilizarem o Ministério da Educação e acusou o Governo de gerar «um embuste político».

A posição dos socialistas foi assumida na Assembleia da República pela vice-presidente da bancada Odete João, considerando que muitos docentes foram prejudicados e enganados pela informação disponibilizada, concorrendo a horários mensais em vez de anuais.

«Há professores que estão irremediavelmente prejudicados e espero que accionem os mecanismos legais no sentido da responsabilização do Ministério da Educação. O Ministério da Educação está a descartar a responsabilidade para as escolas, quando sabe perfeitamente que isso não é verdade», declarou a dirigente do Grupo Parlamentar do PS.

Câmara nega falta de transparência em concurso de professores

(…)
Já depois do período da ordem do dia da última reunião de Câmara, os vereadores do Partido Socialista deixaram uma recomendação ao executivo do PSD para que fosse sublinhado uma maior transparência no concurso de selecção de professores para as actividades extra-curriculares nas escolas do concelho, promovido pela autarquia.

Renato Matos afirmou que, ao contrário do que se passa em outros municípios, na Póvoa de Varzim os professores não sabem as classificações que obtiveram em cada um dos itens de selecção.

O engraçado é observar os protagonistas e perceber que poderiam mudar de lugar sem que quase se percebesse. Uns introduziram o sistema, os outros aproveitam.

Página seguinte »