João Dias da Silva, da FNE, explicou que, “mantendo-se a discordância em relação às quotas, foram conseguidos pressupostos essenciais” para os docentes, entre os quais a não contabilização da avaliação para efeitos de concurso no caso dos professores de quadro.

Que pressupostos, pá?