… ou mesmo dois.

O ministro dos Assuntos Parlamentares afirmou que o «choque reformista» vai permitir ter, até ao fim de 2012, um poder local mais «enxuto, ágil, eficiente e também mais próximo do cidadão».

«Este é um choque reformista. Já tive a oportunidade de o dizer. Portugal precisa de reduzir na administração central, regional e local», disse o governante, que falava à margem da inauguração do Pavilhão de Desportos de Vila Real.

Nem discordo da ideia. Sou contra a pulverização municipal que serve, em muitos locais, só para multiplivar clientelismos aparelhistas.

O problema é que eu acho que ao ministro Miguel ainda falta comer muitas papas de sarrabulho porque isto não é um concurso para uma Associação de Estudantes ou uma Jota, por muitos truques que se tenham aprendido.