Sexta-feira, 9 de Setembro, 2011


Neste sentido, o PCP anuncia desde já, a apresentação para breve de três projectos de Lei – (Um projecto de lei para a gratuitidade dos manuais escolares; um segundo para a constituição de gabinetes pedagógicos multidisciplinares e ainda um projecto lei que garanta a vinculação dos professores contratados e promova a estabilidade do corpo docente nas escolas) – que respondem à necessidade de resolver alguns dos muitos problemas que se colocam hoje ao nosso sistema de ensino e à Escola Pública e apela à comunidade educativa para que não se resigne perante as dificuldades e assuma a luta em defesa da Escola Pública e do acesso a todos os níveis de ensino e ao sucesso escolar, como um imperativo nacional, uma luta que é inseparável da rejeição do programa de agressão ao povo português que está em curso.

Com 2346 respostas consegue resultados muito mais elevados do que os plenários descentralizados da Fenprof.

O que poderia ser motivo de reflexão.

Mas apresenta um ou outro senão.

  • Na apresentação dos resultados, reordenam-se as perguntas originais e a questão 13 de que falava aqui, agora aparece como 19. E as 15 questões aparecem desdobradas em 21. É algo estranho.
  • Os gráficos não apresentam as percentagens ou números exactos e, estranhamente, são diferentes entre as duas partes do inquérito.
  • A resposta à (na nova numeração) Q19 deveria ser lida à luz das respostas às Q22 e Q23.

Nota-se, apesar da dificuldade em ler todos os dados, que a questão da recuperação do rtempo de serviço é a quem mais incomoda o conjunto dos inquiridos.

 

A Fenprof volta hoje à tarde à mesa de negociações com o Ministério da Educação escudada na posição assumida pelos docentes contra as quotas na avaliação e a implicação nos concursos.

… ou mesmo dois.

O ministro dos Assuntos Parlamentares afirmou que o «choque reformista» vai permitir ter, até ao fim de 2012, um poder local mais «enxuto, ágil, eficiente e também mais próximo do cidadão».

«Este é um choque reformista. Já tive a oportunidade de o dizer. Portugal precisa de reduzir na administração central, regional e local», disse o governante, que falava à margem da inauguração do Pavilhão de Desportos de Vila Real.

Nem discordo da ideia. Sou contra a pulverização municipal que serve, em muitos locais, só para multiplivar clientelismos aparelhistas.

O problema é que eu acho que ao ministro Miguel ainda falta comer muitas papas de sarrabulho porque isto não é um concurso para uma Associação de Estudantes ou uma Jota, por muitos truques que se tenham aprendido.

Bem me parecia que era barro atirado à parede a ver se colava. Um governo que quer pagar 20 milhões de euros a uma empresa de consultoria para fazer uma privatização, depois quer poupar 19 milhões em vacinas e pílulas?

Numa nota, o MInistério da Saúde reconhece que recebeu várias propostas para acabar com algumas comparticipação, mas garante ter pedido informação adicional sobre as mesmas.

Índice do Diário da República n.º 173, Série II de 2011-09-08

Parte C – Governo e Administração Directa e Indirecta do Estado

Presidência do Conselho de Ministros – Gabinete do Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros

Declara a extinção da Fundação CCLP – Casa da Cultura de Língua Portuguesa

Presidência do Conselho de Ministros – Gabinete do Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros

Reconhece a Fundação Sousa Cintra”

« Página anteriorPágina seguinte »