É sempre um assunto discutido com muita ponderação e tempo para que os visados possam proceder ás suas engenharias financeiras.

Quanto é para tributar a arraia-miúda, comunica-se e pronto, não dá para escapar.

Estamos de volta ao tempo dos brioches da antonieta, mas ninguém perde a cabeça.

E o mais giro é ver gurus-mirins da análise financeira a usarem nas tv’s todos os tiques dos tipartis e buxistas em defesa dos criadores de empregos. Dos empregos deles,  entenda-se .