É um tema que não me entusiasma muito. Não gosto muito de rebeldias incitadas a partir de fora. Sei que estas pseudo-revoluções dificilmente conduzem a verdadeiras democracias, nem das imperfeitas. Mas a verdade é que não fico muito triste quando um ditador e uma clique mitómana e cleptocrática é afastada do exercício de um poder autocrático. E não vale a pena comparar esta situação com a do Iraque. É obviamente diferente.