Nós não temo serviços secretos para nos proteger de qualquer ameaça externa ou interna. Temos um serviço de alcovitice, pago pelo Estado, para usufruto de certas clientelas.

O acesso a informação reservada dos cidadãos tornou-se prática corrente em certos círculos (acho que é assim que se diz) para uso de forma selectiva na praça pública, de forma selectiva no tempo e quanto aos alvos.

Em outros para ocultar essa mesma informação que, depois, circula em circuito fechado entre quem sabe, normalmente o binómio política-comunicação social. Os farrapinhos chegam à Justiça que, por sua vez, é pasto fértil para um combate digno de um romance do Dan Brown, mas à escala nano.

Espionagem: PM ordena abertura de inquérito

Passos Coelho ordenou ao SIRP a abertura de um inquérito a um caso de “grande gravidade”. Procuradoria-Geral da República também vai investigar caso da alegada espionagem a um jornalista, revelado pelo Expresso.