É o que dá ler mais do que o necessário e arranjar ideias onde menos se espera. Ao ler interessante sobre o tema dos vouchers deparei como aquilo que ficou conhecido como a GI Bill for Children do período final do pai Bush na presidência americana. No fundo, era a aplicação de um sistema de cheques-ensino, mas apenas para famílias de rendimentos baixos ou medianos.

Uma espécie de percursor dos targeted vouchers, ou seja, um sistema em que a medida visa beneficiar especificamente os grupos mais necessitados (aqui, um estudo sobre a aplicação do sistema na Colômbia) e não providenciar uma medida universal para todos os que desejam escolher a sua escola, independentemente dos seus rendimentos.

No fundo é a mesma lógica que leva alguns pensadores a defender taxas moderadoras diferenciadas conforme os rendimentos.

Resta saber se os liberais nacionais concordariam com este tipo de liberdade de escolha, em que se direcciona o apoio para quem dele necessita em termos materiais e não de forma indiscriminada.