Devo ter lido. Várias vezes. Saudade do mais improvável, de ter que ler isto às cinco da matina… e a algazarra da passarada lá pelas seis…