… reflexivas e criteriosas sobre a ADD, mas a repescagem da proposta da Fenprof e o facto de ter passado cá por casa uma jornalista a entrevistar-me sobre o assunto deixaram-me com o tutano a escassear para sair coisa de sustança. Assim, o prometido fica indevido.

Como ando meio cansado disto tudo, vou ver o que sai daqui por uns dias do que disse (a corda anda meio solta) e fico-me pela enunciação da coisa, sem explicação: acho que uma avaliação do desempenho com um mínimo de qualidade e sentido ético tem vantagens internas (pode pressionar para um maior cuidado na performance…) e externas (não nos faz parecer um grupo de gente que tem medo que se avalie o que faz).

Podia demonstrar com pontos e alíneas diversas, mas acho que é mais útil ir ali escolher umas músicas dos anos 80 para postar e voltar amanhã.

That’s all (for now), folks.