Quinta-feira, 4 de Agosto, 2011


Fun Lovin’ Criminals, Loco

Olha… dura grande parte de Agosto.

Quando será o concurso para representante da classe, full-time? Só em Setembro? Por causa das ólideis?

Página 9 do manual. E quem se terá esquecido de rever o documento?

O dos Contratados é de 4 a 10; sem listas definitivas de graduação.

Se calhar é por não serem necessárias…

Factura total do BPN só será conhecida daqui a dez anos

BIC laranja, BIC cristal

Estado fica com as responsabilidades dos processos judiciais ao BPN

Horários zero, concurso e confusão.

Sindicatos dos professores reagem ao anúncio do ministro da educação sobre a saída de professores contratados.

Alunos passam das escolas privadas para as públicas. Segundo a Associação do Ensino Privado e Cooperativo, o ensino é mais caro no público que no privado, segundo a directora da escola Rainha D. Amélia, para além da crise, existe um reconhecimento da qualidade no ensino público.

Doze páginas (sem contar a capa), ali por volta de 1978-79.

Avaliação docente: à procura das evidências!

Temporada de Outono-Inverno de 1989-90. Vestígios.

Há mais de 20 anos ainda guardava os bilhetes, depois esquecia-me disso e, agora, em escavações arqueológicas destinadas a arrumar papelada, aparecem-me assim.

54:00 Os professores eternamente contratados, Miguel Tiago põe o dedo na ferida, nunca percebi porque é que os sindicatos consentiram nisto (de qualquer modo já é demasiado tarde para muitos) e Nuno Crato quando responde esquece-se deste tópico.

36:45 – Desfasado da realidade, uma parte lírica e muito fora da realidade do ministro – “é importante que o professor discuta com o director da escola, com o Conselho Pedagógico e com os seus pares o que está a fazer”

44:00 – Dois pesos e duas medidas. Michael Seufert, ” em relação ao ensino particular e cooperativo, lembra  “a palavra que o governo dá” e esquece-se do que foi dito e feito pelos partidos do governo em relação à avaliação dos professores.

Os pais nunca foram tão bons como agora

A partir do próximo fim de semana entrarei em período (prometo! prometo!) de relativo pousio bloguístico. Tenho um texto por escrever daqueles que até dá muito gozo (é sobre a liberdade de escolha, os cheques-ensino e tal, com coisa de 30.000 caracteres para provocar a malta), a necessidade de arejar uns dias por aí (e não levo net nem pc, que é para desintoxicar mesmo, apenas espreitarei qualquer cibercoiso para ver correio e comentários a precisar de ser aparados) e o imperativo maior de ler pelo menos 1% dos livros que comprei desde Janeiro.

Pelo que…

Até ao fim de semana escreverei três textos com o resto de sumo que me resta, um deles sobre o interesse (ou não) de uma ADD para a melhoria do desempenho profissional (parece que voltou a ser tema de discussão), outro sobre a utilidade (ou não) de aulas assistidas para o mesmo efeito e, por fim, um terceiro sobre as vantagens dos exames para a melhoria do trabalho de toda a gente, alunos e professores incluídos (e, neste caso, não coloco a hipótese de não ser vantajosos e explicarei por quê aos cépticos).

A partir daí haverá bom dia, música à noite e, pelo meio, pelo menos um par de posts para o pessoal ir fazendo a actualização dos temas dos dias. Tudo pré-programado.

Espreitarei quando me apetecer e só devo ter uma recaída dia 12 quando aparecer a proposta do MEC para novo modelo de ADD.

O Fafe fica de vigia a partir da sua atalaia.

1a parte

5:00 Nuno Crato

16:00 Odete João (PS): questões ao ministro:
22:20 Nuno Crato responde: a oferta pública e a privada, encerramento de escolas, O Parque Escolar, o reforço do português e a da matemática, Plano Nacional de leitura, o Plano Acção da Matemática e autonomia das escolas

28:10 Emídio Reis (PSD), três ou quatro temas: reforma curricular, a avaliação dos docentes, ensino particular e cooperativo, bolsas do ensino superior.
33:20 Nuno Crato responde: Ponto da situação sobre a avaliação docente, as negociações, as classificações já obtidas, o novo modelo. 42:50 Níveis de financiamento às escolas privadas, bolsas do ensino superior.

43:10 Michael Seufert (CDS): fala sobre a avaliação dos professores, questiona sobre apoio às escolas privadas/cooperativas e sobre as bolsas do ensino superior
48:25 Nuno Crato responde

51:20 Miguel Tiago (PCP): sobre as políticas de educação do governo. Organização do ano lectivo e horários e contratos dos professores. 54:00 Os professores contratados e a integração no quadro (após 3 anos de serviço). Professores do ensino superior e integração nos quadros. Programas ciência 2007 e 2008, contratos a prazo. Qual a política para os laboratórios de estado. O bolseiro de investigação científica.
57:30 Nuno Crato responde às críticas do PCP à política educativa do governo: fala sobre as provas e os exames, 1:02:00 as escolas de formação profissional. 1:02:52 Não se sabe quantos professores ficarão sem horário e sem contrato, mas “haverá bastantes professores não contratados e é muito possível que haja bastantes professores com horário zero”. 1:03:48 Os professores do ensino superior e a integração nos quadros… Nuno Crato “esquece-se” de falar sobre a integração dos professores contratados (básico/secundário) com 3/10 anos de serviço nos quadros.

2a parte

Rita Calvário (BE) – Os exames, a avaliação de professores e a quebra de uma promessa eleitoral, as cotas. Redução do financiamento e redução do número de funcionários. A passagem dos alunos do ensino privado para o público, mais meios para as escolas?
06:20 Nuno Crato responde sobre os exames 07:20 a descoberta da fraca qualidade do ensino português (exames nacionais e as comparações internacionais) 10:10 sobre a avaliação dos professores: não pode responder pelos partidos da maioria… “há uma grande diferença entre Março e Julho”, “o processo estava praticamente concluído” e “seria tremendamente injusto para os muitos milhares de professores que nela se empenharam”. 11:05 As quotas são o regime geral da avaliação da função pública… “quando não há cotas somos todos excelentes”, as cotas serão estudadas de forma cautelosa e “suave” e são um instrumento importante na avaliação. Redução imposta pelas restrições económicas – mais professores sem contrato e sem horário.

2ª ronda de perguntas

12:30 Pedro Alves (PS): as metas para o abandono escolar, aumento de licenciaturas, aumento no investimento na ciência . O financiamento do ensino superior, bolsas e parcerias.
16:50 Nuno Crato e 18:50 a secretária de estado da ciência Maria Leonor Parreira respondem

21:50 Amadeu Soares Albergaria (PSD): um novo modelo de autonomia das escolas, a transferência (e devolução) de competências para (dos) os municípios. As Novas Oportunidades, a Parque Escolar e os gastos nas escolas intervencionadas.
26:40 Nuno Crato responde, é contra o dirigismo pedagógico e do ministério sobre as escolas. Aumentar a amplitude dos contratos de autonomia, mas evitar alguns regionalismos. 29:20 As Novas Oportunidades e Parque Escolar têm de ser avaliadas. 30:20 “A grande reforma que a escola precisa”, repensar todos os currículos.

31:10 Inês Teutónio Pereira (CDS). A racionalização da rede escolar, os mega-agrupamentos o encerramento das escolas do 1º ciclo. A revisão curricular quais as linhas orientadoras. A indisciplina e o reforço da autoridade dos professores.
33:10 Nuno Crato responde… e ainda não há datas para a revisão curricular. 36:05 O estatuto do aluno vai ser revisto.

36:40 Rita Rato (PCP) os cortes no financiamento da educação, vários casos.
40:55 Nuno Crato… “os recursos são limitados”
41:50 João Casanova de Almeida (Secretário de Estado do Ensino e Administração escolar)- sobre os psicólogos na escola TEIP, reavaliação dos projectos das escolas TEIP. Funcionários vindos dos centros de emprego ficarão mais tempo.

43:20 Rita Calvário (BE) os contratos de financiamento das escolas privadas que estão próximas das escolas públicas. A selecção de alunos nas escolas privadas. O centrar a avaliação dos alunos nos exames.
48:05 Nuno Crato, um desfasamento ideológico. Não há financiamento duplo entre as privadas e a pública. A avaliação não é centrada nos exames, vale 30% .

3a parte

Miguel Tiago (PCP) – os exames, a justiça e as condições dos alunos. O destacamento por condições específicas nos Açores, O programa Ciência 2007 e 2008.
01:52 Margarida Almeida (PS) – O ensino especial.
03:42 Acácio Pinto (PS) – Mobilidade e avaliação de desempenho. Quais as excepções dos destacamentos. Há estudos sobre a avaliação externa de desempenho do professores? Qual a validade e os custos?

05:22 Michael Seufert (CDS) – qual será o destino do documento sobre as metas dos currículos do segundo e terceiro ciclo. O sistema nacional de indicadores de avaliação da educação.
06:52 Ana Jorge (PS) – O desenvolvimento cientifico e tecnológico, qual vai ser a continuação dos acordos. a disparidade de financiamento entre o superior e o Básico/secundário
08:02 Manuel Meirinho Martins (PSD) – a racionalização da rede do ensino superior
09:42 Rui Jorge Santos (PS) – Bolsas de estudo no ensino superior.
11:42 Nilza de Sena (PSD) – As politicas para a investigação.
13:02 Rita Calvário (BE) – Contratos de associação, o apoio do estado só quando a rede pública não existe, ilegalidades relatadas pela IGE.
15:27 Maria Manuela Tender (PSD) – O abandono escolar, as Novas Oportunidades.
17:52 Carlos Enes (PS) – Ensino Nocturno, cursos EFAs o que vai acontecer.

19:07 O Ministro e os secretários de estado respondem, 20:42 João Casanova de Almeida (Secretário de Estado do Ensino e Administração escolar), 23:27 Isabel Maria Santos Silva (Secretária de estado do ensino básico e secundário) e 28:17 João Filipe Rodrigues Queiró (Secretário de Estado do ensino superior) 37:32 Nuno Crato

4a parte

Rita Rato (BE) A falta de recursos da educação e a política do governo, o POPH. O financiamento comunitário e a contratação de professores/funcionários, ensino particular e público. Estádio Universitário de Lisboa.
03:21 Emília Santos (PSD) O princípio da equidade. A reorganização da rede escolar e o número de alunos. A colaboração com as autarquias.
05:06 Laurentino Dias (PS) O desporto, os gabinetes de apoio ao desporto de alto rendimento e os destacamentos.
08:01 Inês Teutónio Pereira (CDS) avaliação e certificação dos manuais escolares. Articulação entre o pré-escolar e o ensino básico.
09:01 Catarina Martins () Ensino artístico e arte nas escolas. Ensino especializado da música e o POPH. As artes na escola, há algum plano?
11:11 Isilda Aguincha (PSD) o ensino artístico especializado em regime articulado, qual a carga horária? Quais as medidas para o ensino artístico?
12:51 Elza Pais (PS) A educação para a cidadania tem sido desvalorizada, qual é a importância?
15:06 Gabriela Canavilhas (PS)- O ensino artístico, as orquestras.
17:21 Duarte Marques (PSD) Empregabilidade do ensino superior. Os bolseiros de investigação cientifica.
19:51 Pedro Delgado Alves (PS) a reestruturação da rede do ensino. A Universidade do Minho. Parcerias internacionais.
22:51 Odete João (PS) apoio aos alunos na língua portuguesa. A CIF. Ensino particular e cooperativo e ensino público. Cheque ensino.

25:21 O Ministro e os secretários de estado respondem — 25:31 Maria Leonor Parreira (Secretária de estado da Ciência ) 28:11 Isabel Maria Santos Silva (Secretária de estado do Ensino básico e secundário) 33:21 João Casanova de Almeida (Secretário de Estado do Ensino e Administração escolar) 36.06 João Filipe Rodrigues Queiró (Secretário de Estado do ensino Superior). 42:01 Nuno Crato