Terça-feira, 2 de Agosto, 2011


Um clássico e um moderno. Este para compreender o grupo político que acaba de ter uma vitória retumbante na discussão sobre o défice nos EUA.

Olá Paulo.

Aí vão os critérios “confidenciais” da 2ª fase.
Estes esclarecimentos são fundamentais para se saber como o GAVE pretende que seja feita a correcção dos exames… e chegam aos correctores na tarde do dia 2, quando o prazo limite para a entrega das provas corrigidas é o dia 4!
Se tivermos em conta que alguns dos “esclarecimentos” que agora nos chegam contradizem outros que nos foram prestados anteriormente pelos supervisores, imagine-se a sobrecarga de trabalho que vamos ter para voltar a ler todas as questões e verificar se estão de acordo com este documento “final”.
Não me alongo mais, vou ter de ir trabalhar…

Um abraço.

Anexo: DOC_GAVE_Fís.Quím.A_715_Fase2.

Isto não é uma argumentação aceitável:

«Se deitássemos fora os resultados desta avaliação, prejudicaríamos os professores que nela se empenharam. Se só tivéssemos em conta estes resultados, prejudicaríamos os professores que desde início acreditaram que seria suspenso».

«Eu não queria dizer que é uma solução salomónica. Estava à procura de um nome de um rei antigo para classificar esta solução, mas no fundo, o que quer dizer é que cada um pode escolher o modelo que lhe for mais favorável», explicou aos deputados da comissão parlamentar.

E quem não se empenhou ou pretende empenhar em nenhum?

E de entre esses, como distinguir aqueles que, não se empenhando, levam a mesma classificação dos que se empenharam e ficaram sem quota?

E já agora, aqueles como eu que não pensam empenhar-se em nenhum por não acreditar nos do passado e me parecer que o próximo não vai pelo melhor caminho?

E que modelo poderão escolher aqueles que pensam empenhar-se apenas em dar as melhores aulas que sabem aos seus alunos e estarem-se na tinta para o resto, em particular, as tretas que asseguram, nos dias que correm, a xalência em muitas escolas e agrupamentos?

Mas…

Mas… por outro lado, isto é uma homenagem a todos aqueles que, podendo, não fizeram. Ou melhor dizendo, fizeram.

Só vi o arranque da audição e agora uma parte mais final. Achei o ministro muito nervoso a entrar. E acho que a equipa que o rodeia, quando é chamada a entrar, aparenta estar mal preparada.

Quanto às perguntas, o que vi pareceu-me pobre.

Para comentar o directo da Comissão de Educação.

Aqui em ofício-circular da DRELVT: OFICIO CIRCULAR DRELVT-01-08-2011.

« Página anteriorPágina seguinte »