Sábado, 30 de Julho, 2011


Beautiful South, Perfect 10

Caro Paulo
Já não entendo nada.
Ainda na quinta feira recebemos este e-mail na escola oriundo da DREC. Temos a distribuição feita contemplando 8 turmas EFA de nível secundário e 3 de nível básico e preenchemos a aplicação informática de indicação da componente lectiva com esses dados.
A.

Pode divulgar à vontade

Exmo.(a) Sr.(a) Director(a)/ Presidente da Comissão Administrativa Provisória

Na sequência das orientações enviado à ANQ por parte do Gabinete de Sua Excelência a Secretária de Estado do Ensino Básico e Secundário, informamos que as ofertas de dupla certificação de jovens e adultos integradas no Sistema Nacional de Qualificações (CEF, EFA, Cursos Profissionais e formações modulares certificadas) não sofrerão qualquer alteração para o próximo ano lectivo, pelo que as Escolas deverão preparar o ano lectivo como estava previsto.

Com os melhores cumprimentos,

A Directora Regional
Helena Libório

E afinal… não é que a primeira informação aqui divulgada até estava certa?

O resultado disto tudo é não se conhecerem ao certo os horários disponíveis e… tudo está a acontecer de forma surreal… em que ninguém assume exactamente nada e se faz uma governança por telefone.

Ministério suspende novas turmas para adultos

Por causa do adiamento, há mais professores sem componente lectiva. E, por falhas na informação, está instalada a confusão.

(…)

Nos cursos EFA estavam inscritos, no ano passado, cerca de 78 mil pessoas. Por causa de uma nova circular da DRLVT, vários directores e professores acreditaram que podiam avançar para a abertura de novas turmas. Agora a confusão parece instalada.

O primeiro comunicado da DRLVT foi feito na quarta-feira. Precisamente o último dia do prazo dado às direcções de escolas e agrupamentos para indicarem à Direcção-Geral de Recursos Humanos da Educação (DGRHE) quais os professores sem componente lectiva no próximo ano – depois de conhecido o número de alunos inscritos e os respectivos cursos.

“Aqui na escola já tínhamos tudo apurado quando chegou a informação de que não abririam para já as novas turmas dos cursos EFA – foi um momento de forte impacte emocional, porque de um momento para o outro, sem que nada o fizesse prever, mais dois professores ficaram com horário zero e obrigados a concorrer para Destacamento por Ausência de Componente Lectiva (DACL)”, descreveu ontem, em declarações ao PÚBLICO, José António Sousa, director da Escola Secundária D. Dinis, de Lisboa.

Ao fim do dia de anteontem viveu-se um segundo momento de confusão, graças a uma segunda nota da DRLVT em que se informava que “as ofertas de dupla certificação de jovens e adultos integrados no Sistema Nacional de Qualificações (CEF, EFA, cursos profissionais e formações modulares certificadas) não sofrerão qualquer alteração para o próximo ano lectivo, face ao que estava planeado”. No blogue de Paulo Guinote, por exemplo, a afirmação foi interpretada como um recuo do Governo e José António Sousa admite que o mesmo tenha acontecido em vários estabelecimentos de ensino.

“Num primeiro momento, eu próprio pensei que era assim”, admite o director da Secundária D. Dinis que, depois de pedir um novo esclarecimento, foi informado pela DRELVT de que não havia alterações “em termos de matéria curricular, mas que as escolas deveriam continuar a aguardar autorização para abertura de novas turmas e afectação de recursos humanos nos casos dos cursos de EFA”.

Ex Sr Professor Paulo Guinote

No último Conselho Municipal de Escolas, realizado em Guimarães no mês de Julho, para nosso espanto, a vereadora da educação desta cidade, afirmou que a Câmara desta cidade,  paga há muitos anos, os transportes dos alunos das freguesias de Guimarães para o estabelecimento de ensino privado, cooperativa Didáxis, que se encontra situado no concelho de Famalicão. As escolas de algumas freguesias do Concelho de Guimarães tem diminuido os seus alunos dado que estes se deslocam para a dita cooperativa, financiada pelo estado e neste caso, também, pela Câmara Municipal de Guimarães. Havendo oferta pública nesta freguesias, é incompreensivel esta cooperativa para além da ajuda do estado tem ajuda de uma Câmara de outro Concelho, prejudicando desta forma as escolas públicas da área pedagógica a que os alunos pertencem..

Cumprimentos,

(Pela) Comunidade Educativa de Guimarães

Tem autorização para publicar

Resultados da sondagem sobre os sete princípios propostos pelo MEC para o novo modelo de ADD:

Mais de 55% espera novos elementos e mais de 8,5% não faz ideia, o que faz quase dois terços dos votos. 17,6% estão claramente contra e 10,8 a favor com 7,9% a ficar no fio da navalha.

É decisiva a concretização anunciada para dia 12 de Agosto. Até lá, o assunto será tratado por mim apenas de forma episódica.

Escrito originalmente em 1950:

O Português gosta de fazer projectos vagos, castelo no ar que não pensa realizar. Mas no seu íntimo alberga uma certa esperança de que as coisas aconteçam milagrosamente.

O divertido é que – e esta acrescento eu – o Português que concorda com isto tem tendência a achar que são apenas os outros que são Portugueses e ele a excepção. Tanto maior excepção quanto nada faz, por vezes nem os castelos no ar, espera que até isso façam por si.

E sim, tenho espelhos em casa.

Página seguinte »