Podia, mas não era a mesma coisa e perderia mais uma hipótese de irritar os do costume, o que é sempre uma cereja adicional, mesmo se o bolo não agrada muito.

Atentemos em algumas passagens do comunicado da Fenprof sobre a reunião de amanhã com o MEC:

Na reunião que amanhã terá lugar no MEC, pelas 15 horas, e em que a FENPROF participará, terá início o processo de revogação e substituição do actual modelo de avaliação dos docentes.

Nessa reunião a FENPROF defenderá as seguintes posições:

(…)

4. Fixação de um calendário negocial que não incluirá o mês de Agosto, por se tratar de um período de férias para os docentes.

(onde está o espírito de sacrifício dos representantes que não se incomodaram de ficar a negociar até à madrugada de 8 de Janeiro de 2010? preferem que em Setembro ainda não se tenha novo modelo, é isso?)

A FENPROF manifesta disponibilidade para que, nesta negociação, uma das referências seja o modelo de avaliação que vigora no Ensino Particular e Cooperativo e recorda que essa disponibilidade é também manifestada pelo Governo no programa que recentemente apresentou na Assembleia da República.

(é comovedora esta adesão às posições do CDS sobre esta matéria, mas eu preferia que a maior federação sindical de professores do país conseguisse ter uma proposta própria e não revelasse tamanha preguiça… ao fim de uns anos, quem andou a fazer ficheiros com textos de blogues não conseguiu alinhavar mais de um folha A4 sobre esta matéria? Ou têm medo de apresentar a – falta? – de ideias?)

Nota final: se o coiso tivesse ficado calado, tinha-se evitado este post…