Embora já se estivesse a perceber que iria dar nisto, mais tarde ou mais cedo, em certos coutos e senhorios… Ao contrário do que é alegado isto NÂO ESTÀ DE ACORDO COM A LEI. Mas enquanto se mantém o equívoco das bonificações para concurso há quem se aproveite…

Caro Paulo Guinote,
Quero informá-lo que tenho lido o seu blog diariamente e que admiro e concordo com muito do que lá escreve.
Sou professora na Escola Secundária de *************, Braga onde há muito o caciquismo local se instalou através de uma CCAD imbuída de ideais de excelência, sem dúvida questionáveis, e de um director que a seu gosto decide sem dar cavaco a mais ninguém, longe do ideal de leader democrático e cooperativo.
A última medida foi a derradeira gota de água num país onde a gestão das escolas revela agora a sua verdadeira face: a lista graduada dos grupos disciplinares que serviria para efeitos apenas de escolha de níveis veio preenchida…já com a nota de 1 para os que “milagrosamente” haviam tido uma avaliação de muito bom e excelente na anterior fase avaliativa e que milagrosamente também haviam dado o salto “à vara” passando à frente dos colegas que por terem tido um bom, foram contemplados com um 0 na referida lista. Critérios que o directivo justificou por,  “estar de acordo com a lei”. Desconfio que a lei apenas serviu para a escola se auto-justificar. A avaliação suponho conta apenas para progressão e concursos de professores, não?
(…)
Obrigada
Uma professora indignada