Em pouco mais de 20 minutos chutou-se para canto e varreu-se para debaixo do tapete.

Debate do projectos de resolução do PCP e Bloco de Esquerda: suspensão e reversão dos efeitos do processo de avaliação de desempenho dos docentes.

Miguel Tiago (PCP) – apresentação da proposta. “É altura de garantir que os professores têm direito a um processo de avaliação, para pôr fim ao processo de verdadeiro amesquinhamento que lhes tem sido imposto”

3:50 Rita Calvário (BE) – apresentação da proposta. “Este é o momento que serve de clarificação sobre aquilo que o governo e os partidos dos governo, querem fazer relativamente ao modelo de avaliação dos professores.”

7:19 Amadeu Soares Albergaria (PSD) – “Nada mudou, mas isso era não ter vivido com intensidade os últimos quatro meses”

11:30 Acácio Pinto (PS) – sobre os projectos apresentados, “são testes de stress para o PSD, para perceber qual é o colossal desvio que eles fazem, entre o que prometeram e aquilo que estão agora a fazer “

“Este processo deve ir até ao fim, na nossa perspectiva, pelo respeito que nos merecem os milhares de professores que nas escolas desenvolveram o processo e estão a concluir o seu processo, e é por isso que nós entendemos que este processo deve ser finalizado. Em suma, suspender este processo, não. Avaliar este processo, sim.”

15.45 Michael Seufert (CDS) – “Está no nosso programa eleitoral a defesa da avaliação a todos os níveis, a avaliação das escolas, a avaliação dos directores , avaliação dos professores, a avaliação dos alunos, a avaliação dos programas e a avaliação dos manuais. Na anterior legislatura, é verdade, defendemos a vários momentos a suspensão do actual modelo de avaliação por considerarmos que era um modelo que não servia o sistema educativo, também isso é verdade, e também é verdade que quanto a isso a nossa posição não mudou, mas o que mudou, é o momento que se vive nas escolas e o momento que se vive no pais”

“Há expectativas que se criaram que não podemos deitar fora”

19:00 Miguel Tiago (PCP) – sobre a posição do PSD em relação à avaliação: “É tudo isto, tem todas estas características absolutamente hediondas, mas deve produzir efeitos, porque, seria defraudar as expectativas dos professores se agora não produzisse efeitos”

21:50 Rita Calvário (BE) – “O que fica claro neste debate, é que os partidos do governo rasgaram o seu compromisso eleitoral e as promessas que fizeram aos muitos milhares de professores”