Uma espécie de Bravo Nico do CDS, a precisar de farinha Maizena para ganhar consistência e não ser apenas moço de recados:

“Estamos numa posição diferente do início do segundo semestre. O processo  de avaliação está no fim e o Governo já indicou que vai apresentar uma proposta  de novo sistema de avaliação em Setembro”, argumentou.

Michael Seufert referiu que muitos professores “fizeram esforço e tiveram  trabalho para ter boas classificações e seria injusto para eles”.

O deputado indicou ainda que as progressões na carreira estão congeladas  até 2013, uma provisão do programa da “troika” internacional, e que até  lá se poderão avaliar “os efeitos deste ciclo avaliativo” e estudar um novo  modelo.

Nada disto faz sentido, a começar pelo início do segundo semestre. Do que fala o rapaz? De algum semestre bolonhês? A votação no dia 25 de Março de 2011 foi no início do segundo semestre?

E a conversa do esforço? Quererá Seufert (ler Sóiferte) dizer que, por exemplo, eu não me esforcei só porque não quis ser distinguido num modelo de ADD que sempre critiquei?

Os quadros do CDS são curtos. A maioria foi para o governo. Restou isto. Que objectivamente considero uma afronta, colocar este ser parlamentar falante a responder sobre questões relativas à Educação. Um zero à esquerda, mesmo vindo da direita.

Arranjem-lhe qualquer coisa na CGD.

Eis o blog com ideias em construção. Muito apropriadamente. Por enquanto serve para transmitir as de outros.