Quinta-feira, 21 de Julho, 2011


Vincent Delerm, Natation synchronisée

Ou ameaçaram que lançavam um jaimeramos sem açaime pela CGA dentro?

Anulado pedido para políticos madeirenses devolverem pensões

A Caixa Geral de Aposentações (CGA) terá anulado a notificação feita aos deputados e governantes madeirenses que acumulam pensões com remunerações, de acordo com o presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Miguel Mendonça.

Tipo António Teodoro, mas em menos fofinho:

Class, Capital and Education in this Neoliberal and Neoconservative Period

Já agora:

Social Welfare, the Neo-conservative Turn and Educational Opportunity

Mulheres enviam mais SMS eróticos que os homens

De acordo com um estudo realizado por duas professores universitárias nos Estados Unidos, as mulheres têm maior tendência para enviar fotos nuas ou mensagens de texto com mensagens eróticas do que os homens.

Eu cá gosto de ver sinais de inteligência nas pessoas e nas organizações. O PCP, que apresentou uma proposta de lei para a suspensão da ADD a discutir no dia 27 de Julho sobre a qual já aqui explicitei as minhas reservas quanto à sua qualidade jurídica e oportunidade política, decidiu agora apresentar um projecto de resolução sobre a mesma matéria.

O projecto é este: ProjectoResolPCPJul11.

O mail que o acompanha é o seguinte:

Lisboa, 20 de Julho de 2011

Caros Amigos,

No seguimento do Projecto de Lei do PCP para a revogação do modelo de avaliação de desempenho docente e, tendo em conta os constrangimentos impostos pelo tempo e pelos prazos regimentais e constitucionais, o PCP apresentou também na Assembleia da República, o Projecto de Resolução que agora vos enviamos em anexo.

Com os melhores cumprimentos,

Chefe de Gabinete do Grupo Parlamentar do PCP

N/Ref. nº 39213-0070MAIL/11

Chamo a atenção para o facto de nesta proposta ser transferida para o Governo a iniciativa pela revogação ou substituição da legislação que é da sua responsabilidade.

Um projecto de resolução, mesmo merecendo aprovação, não é uma lei. Mas quer-me parecer que este projecto tem todas as condições para ter o voto favorável do PSD e CDS.

Também é verdade que o que se recomenda – realmente – é que as classificações deste ciclo de ADD não tenham efeitos práticos em matéria de concursos. E que se façam negociações para um novo modelo em Setembro. E lá se dá protagonismo à mesa das negociações. É bem pensado a dois níveis, um deles a devolução de algum protagonismo aos próprios sindicatos.

Eu sempre disse, e com sinceridade, que no grupo parlamentar do PCP há gente inteligente. Revogar parte do ECD sem negociações é algo que não foi muito bem pensado, pelo precedente que abriria.

Há é muito calhau por aí, mas isso…

Segundo os dados do Ministério da Educação, cada relator (professor avaliador) teve em média cinco professores para avaliar e uma hora e meia por semana do seu tempo para fazer essa tarefa. Contas feitas, o ensino público consumiu ao todo 30 mil horas por semana neste processo, o que equivale a 1250 dias no total.

“Há uma enorme variação de caso para caso. Os 90 minutos semanais poderão ser mais do que suficiente para os relatores que avaliam colegas sem aulas assistidas; esse mesmo tempo pode ter sido ultrapassado para os que tiveram a seu cargo os candidatos às classificações de topo”, avisa Paulo Guinote, professor da Escola Básica Mouzinho da Silveira (Moita), explicando ainda que enquanto houve escolas que obrigaram os professores a entregar a avaliação em suporte multimédia, outros estabelecimentos aceitaram os documentos em papel.

 […]  diz José Rafael […] Agora a “dor de cabeça” passa para a comissão de coordenação da avaliação, um júri composto pelo director e mais quatro docentes nomeados pelo conselho pedagógico de cada escola. São eles que determinam quem são os merecedores das notas – insuficiente, suficiente, bom, muito bom e excelente – em função das quotas para cada agrupamento.

[aqui]

Espero desenvolvimentos…

Professores aceitam ‘muito bom’ decidido fora da escola

Fenprof concorda também em usar o modelo dos privados como base negocial com o Ministério da Educação e Ciência.

O modelo em vigor no ensino particular e cooperativo “é uma boa base de trabalho” para a futura avaliação docente, admitiu ao DN o secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof). Mário Nogueira considerou também “admissível” que as avaliações dos desempenhos de professores que fujam à mediania, pela positiva ou pela negativa, sejam decididas por entidades externas às escolas.

O modelo do privado é, no fundo, o do ECD de 98 com mais poderes para o Director…