Quarta-feira, 20 de Julho, 2011


David Bowie, Sound and Vision

As Escolas, EB 2,3 de Pevidém, Virgínia de Moura de Moreira de Cónegos, EB 2,3 de Pedome, EB 2, 3 de Abel Salazar, Ronfe, todas inseridas no Concelho de Guimarães, tem diminuído as suas turmas ao longo dos anos devido não só à baixa natalidade mas essencialmente à existência da Cooperativa de Ensino Didáxis que pertence ao concelho de Famalicão. Este problema existe porque esta cooperativa vai buscar alunos às áreas pedagógicas destes Agrupamentos bem como a outros concelhos e freguesias onde existe oferta pública de ensino.

Perante o contrato associativo que este estabelecimento tem com o Estado esta cooperativa não poderia cooptar alunos em locais onde já existe oferta pública levando com isto à diminuição de turmas e à duplicação das despesas com o Estado. O Estado tem aqui uma despesa acrescida, uma vez que sustenta alunos numa escola privada com contrato associativo quando esses alunos têm vaga disponível em escolas públicas. Numa época de restrição de despesas não se compreende que o Estado dispondo de oferta pública recorra a serviços de um estabelecimento de ensino privado. Já foi pedido esclarecimentos à DREN, em Março só que até hoje nada foi respondido. Porquê? Que diz o contrato de associação se é que existe?

Como pode o Estado Português estar a pagar ordenados numa escola pública, que existe há mais tempo e ao mesmo tempo subsidiar o ensino particular no mesmo sítio? Porque não responde a DREN? Como pode o estado estar a subsidiar alunos de uma área onde existe oferta pública, sejam alunos carenciados ou sem quaisquer problemas financeiros? Então não estamos em contenção? Não foi o que nos ditou a Troika? Ou será que existem outros motivos inconfessáveis?

Assinado:

A.C.

É cá por coisas. Por isto. Por isso não me aborreçam mais com

 .

Colocando algum rigor na oferta…

School league tables to exclude thousands of vocational qualifications

Schools can still offer range of courses but only results in most rigorous qualifications will count under government plans.

E nos dias maus, acho que certos diferenciais deveriam ser motivo de mais do que reflexão.

Notas dos alunos nos exames são piores do que nas escolas

Défice do Estado triplicou em Junho

Orçamento Rectificativo provável em Agosto no Parlamento

Reorganização curricular: a verdade “escondida” e as oportunidades perdidas

Para arquivo, as peças de ontem e hoje do DN sobre as reuniões do ME com fenprof e FNE:

Diário de Notícias, 19 e 20 de Julho de 2011

Recolha do Livresco

Em Viseu recebemos, no período de correcção, não um mas 3 docs: os dois primeiros do “formador” e o 3º do GAVE. E com informação contraditória.
Basta ler o que se diz sobre a pontuação a atribuir à questão 5.2 !!!…
Recebi o PTG1 em 1 de Julho às 10:15 horas com a seguinte informação :
O anexo que se segue contém algumas dúvidas que têm sido esclarecidas telefonicamente pelo GAVE. Mas, mais tarde, irá sair o “documento GAVE” que é soberano em toda e qualquer informação dada.

Agradeço que não divulguem o anexo mas espero que seja esclarecedor e facilitador do vosso trabalho.

Continuarei a tentar esclarecer as dúvidas que me irão sendo colocadas, na medida do possível. Isto é, ignorem o prazo que foi estabelecido anteriormente (30 de Junho, 18 horas).
Recebi o PTG2  no mesmo dia 1 de Julho às 13 horas com o seguinte texto : ” Segue uma correcção ao que foi dito no item 5.2, no documento PTG1
Finalmente, no dia 6 de Julho, às 13 horas,  chegou o referido doc do GAVE; já agora com o texto
 ” Segue, em anexo, o “documento Gave”, referente à prova 635 (Matemática A)

Este documento é soberano sobre tudo o que foi dito/opinado/interpretado.

Depois de uma leitura atenta, se for necessário algum esclarecimento, estou ao vosso dispor.

No caso de surgir alguma situação mais duvidosa que não esteja neste documento, agradeço que me contactem (qualquer via) até às 11 horas do dia 8, pois o Gave está disponível telefonicamente para atendimento aos Formadores das 11h às 13h (desse dia).

Estamos no 3.º momento (D3), de acordo com as “Normas Gerais Para O Classificador”.

Tenho a “honra e prazer” de fazer parte do grupo a que chamam “bolsa de correctores”.

M.

Anexos: PTG 1, PTG2 e DOC_GAVE_MATEM A_635_Fase1

Isabel Campeão:

“Exames! – disse ele”

Miguel Pinto:

Por que deseja a entropia, senhor ministro?

Octávio Gonçalves:

Que parvo que eu sou

Gostaria de menos quilómetros e mais e aula em aula… só para desenferrujar.

Mário Nogueira “Só abandono o PCP quando o PCP for governo”

O sindicalista não tem tempo para nada. Só para fazer 80 mil quilómetros por ano, de escola em escola, a ouvir Pink Floyd.
O sindicalista não tem tempo para nada. Só para fazer 80 mil quilómetros por ano, de escola em escola, a ouvir Pink Floyd.
(…)

Sai muito do gabinete?

Estou aqui muito pouco. Vou muito à minha escola, em Coimbra, no Agrupamento de Escolas da Pedrulha, quando tenho de tratar de coisas na secretaria ou quando lá estão os meus colegas, e conversamos. Por vezes até me pedem alguma coisa, organizamos lá iniciativas de protesto para ter alguma visibilidade.

Há quantos anos não dá aulas?

Há 20 anos. Tenho o vínculo de quadro. Imagine, se a partir de 1 de Setembro deixar de estar aqui a tempo inteiro vou para lá.

Gostava de ir?

Quando chego a Setembro a minha vontade é estar na escola, mas não posso deixar as coisas a meio, e isto cada vez está pior.

Quando se imagina a sair?

Saio quando numas eleições tiver de sair, ou quando quiser sair. Gostava de estar na escola, de fazer formação e de me doutorar na área da Psicologia.

Crato apresenta nova avaliação na próxima semana

Nuno Crato recebe a FNE.

Os Clã gravam um vídeo na escola. A escola Leonardo Coimbra mudou. Uma escola situada numa zona de bairros sociais e conhecida como uma escola problemática mudou nos últimos anos.

Quer-me parecer que este ódio é mais visceral do que o que era dirigido a Maria de Lurdes Rodrigues. Mas Santana Castilho lá tem as suas razões para estar contra tudo, incluindo o que…

Acabou-se o fb. Não vi qualquer interesse em ser constantemente adicionado. Pim!