Porque razão o PCP não se limita a propôr a nulidade dos efeitos, por exemplo no caso dos concursos, deste ciclo de avaliação, já que recomenda que se inicie, apenas em Setembro, um processo negocial para um novo modelo de ADD?

Qual a razão que leva o PCP a apresentar a seguinte proposta, que se sabe conter elementos sobre as quais o Tribunal Constitucional já se pronunciou de forma negativa e outros que são matéria que depende de negociações com os sindicatos (algo que considera nariz de santo em todas as outras disputas laborais)?

Artigo 3.º
Norma Revogatória

São revogados os artigos 40.º a 49.º do Estatuto da Carreira dos Educadores de Infância e dos Professores dos Ensinos Básico e Secundário, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 139-A/90,de 28 de Abril, alterado pelos Decretos-Lei n.ºs 105/97, de 29 de Abril, 1/98, de 2 de Janeiro, 35/2003, de 27 de Fevereiro, 121/2005, de 26 de Julho, 229/2005, de 29 de Dezembro, 15/2007, de 19 de Janeiro, 35/2007, de 15 de Fevereiro, 270/2009, de 30 de Setembro e 75/2010, de 23 de Junho, bem como a respectiva legislação regulamentar.

Expliquem-me lá uma coisa: andam a gozar exactamente com quem?