Neste interregno de liderança do PS há quem se aproveite para mostrar serviço, na expectativa do novo treinador o deixar na equipa principal, se possível a titular.

É o caso de João Galamba que – e bem – exorta Passos Coelho a clarificar o que se passa nas contas públicas mas – mal – evoca a troika como padrão de conhecimento da realidade nacional, sabendo-se que eles também só viram o que os deixaram ver.

Talvez fosse mais prático ele perguntar aos amigos abrantinos, que devem ter ficado com muitos dos elementos apagados dos computadores ministeriais…