… é dedicada toda uma página à reconstituição minuciosa (inclui uma curiosa passagem que caracteriza como tendo ficado lívido o super-bronzeado ministro Miguel Macedo) do processo de escolha e desistência de Bernardo Bairrão como secretário de Estado.

A peça contém detalhes que só podem ser conhecidos através de informação prestada pelos próprios ou espionagem de sms alheios.

Num caso assegura-se que há o registo de um sms enviado por uma pessoa a outra. A emissária surge na peça a desmentir; não se percebe o interesse do receptor em divulgar tal coisa, pelo menos olhando daqui.

Serei só eu a achar que isto ou é grande jornalismo de investigação ou, em alternativa, uma enorme treta?