gostavam de palha virtual. Já estou confundido – seriam o cavalo do espanhol?


Acho interessante fazer-se a análise de um governo – incluindo as políticas de educação – após dois dias, esquecendo os últimos 2200, mais coisa, menos coisa.

Claro que há a actividade do pcp e o olhar desorbitado do be, mas isso não explica tudo, aliás – não explica nada.

O que explica, no presente “cluster” (estão a ler com atenção?), é a vidinha, a inveja e a hipocrisia. Dos sindicatos com culpa, dos governantes desculpados e, especialmente, muito especialmente, dos professores – em que, para cada um, o outro colega é sempre o vizinho do lado. Vizinho na mesma casa.

Tenho repetido que isto já estaria resolvido há muito tempo, mas quando era possível.

Transformar pedras em flores – sem eliminar as pedras, dá trabalho e nem sempre resulta. Aliás, não resulta a maior parte das vezes. Mas compensa quando dimana.

Etiquetado de fascizóide e xenófobo por idiotas não me ofende, os que berram e gritam nunca fizeram uma manifestação completamente sós, cativo a um processo disciplinar no próprio dia, que só não avançou porque tiveram medo de um louco, porque foi isso que decidiram artisticamente concluir — o que me doesta é apenas o opróbrio dos colegas que tenho que ter.

Até alguns me retirariam a profissão e a sopa – se pudessem, como disseram aqui por escrito, a um apenas contratado…

É por isso e por outras coisas, em que ficarão sempre na dúvida, pelas quais me divirto pilhericamente, por mais que eu observe que lhes custam as vidinhas medíocres.

Pim!