Sábado, 28 de Maio, 2011


Paul Simon, Slip Sliding Away

You know the nearer your destination, the more you slip sliding away

Malandragem, esta malta do Expresso

PR: Cavaco reafirma “rigorosa imparcialidade” relativamente à campanha e desmente tomada de posição sobre dimensão futuro Governo

Sim, senhor Presidente, nós acreditamos que coiso e tal…

A bem dizer, é a velha desabilidade habilidosa… mais valia ir a banhos, comer uns caracóis… brincar com os netinhos….

Desde logo, como o autor sublinha, as desnecessárias esperanças resultantes de um optimismo falso que conduziu a muitas tragédias…

Silêncio que se vai cantar futebol.

UM DIA MAU PARA A GANDULAGEM

Hoje e por uma vez que espero, sirva de exemplo, é um dia mau para a gandulagem. Um Tribunal decretou a prisão preventiva para uma das agressoras de uma jovem de 13 anos, há dias na zona de Benfica e do marmanjo que filmou aquilo e pôs no “Face”, a outra agressora escapou por ter menos de 16 anos que é em Portugal a idade até à qual se pode impunemente provocar, injuriar, assaltar, agredir e até matar.

Por uma vez e dada a publicidade que o tal marmanjo deu ao assunto, foi possível fazer aquilo que o Senhor Procurador-geral da República tinha dito “não ter meios informáticos para mandar investigar”, o que prova que o Senhor Procurador, tal como antes o Senhor Presidente da República atribuem à “Informática” poderes que está longe de ter, bastando para isso a PSP.

A miséria moral, mais do que material e em associação com ela e a complacência de uma “esquerda pastoril” e de uma direita em que “são mais as vozes do que as nozes”, trouxe-nos até ao lamentável estado de coisas em que temos vivido, tudo servindo de alibi para justificar o injustificável numa e-versão dos “Feios, Porcos e Maus”.

O quotidiano da maioria dos jovens, dos idosos e das pessoas decentes em geral, é frequentemente sequestrado por energúmenos perante a total indiferença e inoperância de todo o tipo de autoridades, sem que nada o justifique a não ser os fracos subterfúgios de uma espécie esfarrapada de “sociologia de trazer por casa”.

É preciso que aconteçam coisas graves e sobretudo que, devido à burrice vaidosa de alguns desses díscolos, se tornem universalmente testemunhadas para “depois de casa roubada, trancas à porta”.

Ao contrário do que disse o venerando Padre Américo num outro contexto, há mesmo rapazes beras e raparigas más e mais vale tarde que nunca, desde que não seja só para “salvar a honra do convento”.

António José Carvalho Ferreira

Tenho a edição em papel da Visão que é uma delícia, mas o Mário Silva, mandou-me a ligação para os ficheiros áudio.

A 26 de Março último, Jorge Miguéis, Diretor-Geral da Administração Interna e da Administração Eleitoral aproveitou uma descontraída e quase incógnita sessão no Instituto de Estudos Eleitorais da Universidade Lusófona do Porto para disparar críticas em todas as direções.

Quando se escreve disparar em todas as direcções peca-se por defeito. E os tiros são quase todos do mais certeiro que há. Como é que ele, sendo assim sincero, chegou a este lugar?

Quantos ruispedros irá custar?

Campos e Cunha vai para o Santander Totta

Antigo ministro das Finanças substitui António Borges na presidência do conselho fiscal do banco.

Página seguinte »