Quinta-feira, 19 de Maio, 2011


Kings of Leon e Eddie Vedder, Slow Night, So Long

Woher kommen Sie?

A chanceler Merkel numa daquelas suas arengas comicieiras, disse que em países como a Espanha, Portugal e a Grécia os trabalhadores têm muitos dias de férias e reformam-se muito cedo, enquanto na Alemanha só gozam 20 dias úteis por ano e vão passar a reformar-se aos 67 anos de idade. Alegando que se todos estamos na mesma moeda, todos teremos que ter as mesmas condições.

Ora mesmo descontando a mitologia demagógica que atribui aos países do Sul o exclusivo do sea, sex and sun e que 20 dias úteis são o mínimo que a lei alemã estabelece, havendo muitos casos de Acordos de Empresa em que esse número chega aos 30, por acaso número máximo em Portugal. Descontando também o facto de não ter mencionado a França – real campeã de “Estado Social”, optando por se ficar pelos PIGS do costume, vá-se lá a saber por quê?

Por que carga de água não terá falado também nos salários? Já agora…

É caso para perguntar de onde virão aqueles milhares de pândegos aloirados, vermelhuscos e a atirar para o obeso, de todas as idades e “trambos” os sexos (masculino, feminino & outros assim-assim ou assim-assado) que passam a vida pelo Algarve e pelo Mediterrâneo a apanhar bebedeiras de noite, de dia e à hora do meio-dia?

Não me digam que estão a trabalhar?!

António José Carvalho Ferreira

Fica aqui: Estudo Avaliação e Acompanhamento do EB e Secundário.

Aprecio em especial a parte em que se afirma que o namoro foi bom e é boa ideia avançar para um nível mais avançado de interacção (pp. 45-46):

Ao mesmo tempo, o referido processo decorreu no âmbito de uma colaboração profícua entre a equipa de avaliação, a Agência Nacional para a Qualificação (ANQ), o Gabinete de Estratégia e Planeamento em Educação do Ministério da Educação (GEPE-ME) e o
Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social (GEP-MTSS). Este facto veio chamar a atenção não apenas para a exequibilidade tomaram a iniciativa de constituir um grupo de trabalho com a missão de desenvolver o Directório de Informação sobre o Sistema de Educação e Formação (DISEF). como para as vantagens da criação de uma plataforma que permita a sistematização e reflexão de conjunto sobre dados originários de diferentes pontos do sistema de educação e formação e, consequentemente, constante em diferentes subsistemas de informação.
Foi neste contexto que a Agência Nacional para a Qualificação (ANQ) e da anterior direcção da Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (DGIDC) tomaram a iniciativa de constituir um grupo de trabalho com a missão de desenvolver o Directório de Informação sobre o Sistema de Educação e Formação (DISEF).

… chamava-se a isto dever de protecção. O suserano directo tinha o dever de proteger o vassalo em caso de perigo, sendo que o vassalo tinha o dever de trabalhar sempre em prol do bem-estar do seu suserano. Não se praticava apenas entre nobres e plebeus, mas também entre os vários níveis de nobres senhores:

A Lemos-Capucha connection a todo o vapor…

… é alguma coisa (em) que se coma? Tipo… na Universidade? Lembro-me de qualquer coisa! Sou da FCSH, anos 80… as coisas sabiam-se… meio pequeno…

… e a dificuldade de diversos partidos encontrarem um registo coerente sobre um projecto que continua a fazer correr rios de dinheiro por uma rede burocrática certificadora, destinada a manipulações eleitoralistas.

BE junta-se ao PS contra o PSD sobre o programa Novas Oportunidades

O PS marcou um debate parlamentar sobre o programa Novas Oportunidades para voltar a condenar as críticas que Passos Coelho fez à iniciativa. A novidade é que o Bloco de Esquerda ficou ao lado dos socialistas e também apontou baterias aos sociais-democratas. Já o PCP condenou a atitude que os dois partidos assumiram sobre o programa, enquanto o CDS se demarcou do tom do PSD.

Se o PS defende a coisa porque é uma peça – como foi o Magalhães, como é a Parque Escolar – da sua máquina, já o Bloco defende-a por mero condicionamento ideológico pavloviano. A facção eduquesa bloquista é uma coisa atroz… tanta boa intenção junta consegue alimentar diversos infernos 24 horas por dia, 7 dias por semana. Como Louçã no debate com Passos Coelho, também aqui o Bloco perde completamente a noção do seu posicionamento político, cometendo sucessivos erros de palmatória. Bastava dizer que até gosta do conceito, mas que ele deve ser monitorizado. Um pouco como o irmão mais velho da Esquerda, o PCP.

O problema é que, se vasculharmos bem na engrenagem NO, encontramos muitas pecinhas BE… e não só… lembremo-nos de alguns colaboradores na elaboração dos manuais e referenciais e outras coisas que tais… a vidinha obriga… e por ali corre verdinho…

Página seguinte »