Terça-feira, 10 de Maio, 2011


Primal Scream, Rocks

A centralização de poderes nos directores era uma forma de colocar boys na direcção das escolas. A interferência das autarquias na gestão escolar era um mau caminho porque se prestava a exercícios de caciquismo. Os professores deveriam isto e aquilo. Mas, de repente, eis que tudo o que era mau agora é bom, só porque mudou de cor. Os reitores andam parecidos com outro alguém. Sentem o aroma ali tão perto que lançam foguetes de festa para se fazerem notar pelo mestre da dita. E, o que é mais estranho, prestam-se agora a passar mensagens como qualquer notícia de jornal plantada pelos outros… Porquê? Mistério? Nem por isso. embora achem que ando demasiado curioso e façam veladas ameaças à minha saúde e dos meus alunos. Afinal, e como se sabia, há mais margarida(o)s do que a(o)s moreiras. Tudo depende da oportunidade.

… para apresentar os Óscares. Telefonaram-me de Hollywood a perguntar se estaria disponível na eventualidade de e eu respondi que estaria em caso de, mas não se confirmou, pelo que o convite que era para ser não foi e, por isso mesmo eu confirmo que nada aconteceu, embora pudesse ter acontecido se.

go home, pá!

No meio daquilo tudo, até pareceram discretos. Jel e Falâncio regressam sem caneco.

“Não fui convidado para ministro das Finanças”

Eduardo Catroga garantiu ao Económico que Passos Coelho não o convidou para assumir a pasta das Finanças.

Hoje há luta, pá!

Não via duas cantigas seguidas do festival da Eurovisão desde meados dos anos 80, quando aquilo era a preto e branco e a Europa tinha pouquinhos países. Agora são muitos, há norueguesas muito meridionais, diversos países eslavos onde a MTV parou em 1992 e os russos falam inglês.

Os nossos Homens da Luta, afinal, nem são demasiado folclóricos. Apenas estão uma década atrás da maioria dos restantes concorrentes.

Página seguinte »