Sexta-feira, 11 de Março, 2011


O que pretenderão os idiotas alavancar desta feita? Que eu receba o meu salário em forma de dívida? , morram longe, senão ficam já aqui!

Anaquim, As Vidas dos Outros

Miguel Relvas tem «carinho» por «Geração à Rasca»

Portas defende legitimidade da «Geração à Rasca»

Olhó encavalitanço fresquinho. A delegação do PSD é de ir ás lágrimas… Ao menos a do PCP ainda é fotogénica…

Juventudes partidárias vão à manif

Juventude Socialista vai faltar e justifica a ausência por se tratar de um protesto de um movimento apartidário

Vários jovens deputados e representantes de juventudes partidárias vão juntar-se às manifestações do movimento «Geração à Rasca» que decorreram no sábado, em todo o país.

A deputada Rita Rato do PCP, Duarte Marques da JSD e José Gusmão do BE confirmaram já a presença no protesto. Já a Juventude Socialista (JS) refere, de acordo com a Lusa, que não vai estar presente em nenhum dos pontos onde se concentrarão as manifestações, por se tratar de um movimento apartidário.

Pedro Alves, presidente da JS defende que «não deve haver uma partidarização» e faz ainda uma critica ao dizer que o movimento está a ser «contaminado com agendas próprias» pelos partidos. No entanto, refere que alguns militantes do partido podem aderir ao movimento, visto que o movimento defende ideais comuns à estrutura e porque «não é um protesto contra ninguém» e por ser «uma tomada de consciência colectiva».

Duarte Marques afirma que estará presente na manifestação para apoiar as «500 mil pessoas, entre desempregados e em situação precária» e disse ainda que será acompanhado pelos deputados Leitão Amaro e Pedro Rodrigues do PSD.

Interessante (e transgeracional) no Expresso.

Coordenador demitido de funções volta à escola, directores de Coimbra reuniram de emergência e assinaram um documento de apoio a Ernesto Paiva.

Plataforma dos sindicatos dos professores prepara o plenário de professores no Campo Pequeno do dia 12 de Março.

Já perceberam agora o que foi fazer o engenheiro à Alemanha?

Actualização anual do PEC garante défice de 2% em 2013

O Governo anunciou as principais linhas de orientação da actualização do Programa de Estabilidade e Crescimento, antecipando esta apresentação «para que não haja a mínima dúvida sobre a determinação» de Portugal em reduzir o défice orçamental para 4,6% em 2011, afirmou o Primeiro-Ministro José Sócrates em Bruxelas à chegada para as cimeiras da UE sobre a margem Sul do Mediterrâneo e da área do euro. O Ministro de Estado e das Finanças, Teixeira dos Santos, apresentou a actualização do PEC, que inclui a redução da despesa em pelo menos 5,3 pontos percentuais do PIB em 2011, e de 2,4 p.p. nos dois anos seguintes. No conjunto dos próximos três anos, o crescimento da receita será cerca de metade da redução da despesa.

A antecipação das linhas de orientação do PEC destina-se a «reforçar a posição de Portugal» na cimeira da área do euro, garantindo a continuação da redução do défice: «A execução orçamental está a correr bem – para não dizer muito bem -, em Janeiro e Fevereiro», recordou o PM.

Página seguinte »