Aquilo que hoje se lê hoje no Expresso acerca da preparação do futuro de Fernando Nobre, com a associação S(oares)-S(ócrates) a cooptá-lo para um papel de destaque no tal sistema que Nobre dizia querer combater.

Se ele se deixar apanhar por esta teia, perde qualquer credibilidade junto daqueles que nele depositaram mais esperanças. No meu caso, que sempre achei que de forma ingénua Fernando Nobre se prestou a um papel instrumental nas actuais presidenciais, apenas ficarei a pensar que, desta vez e por muitos apelos à cidadania independente que faça, se tornará um actor consciente da trama de interesses que o ouvi denunciar com veemência.