Alguma falta de coragem em assumir qualquer confronto com o ME. Confrontados com a possibilidade de ameaçarem com a demissão, caso o ME não entrasse em negociações até 15 de Março sobre a organização do ano lectivo, a avaliação do desempenho, a contratação pública, a esmagadora maioria dos dirigentes escolares votou contra essa proposta. Aliás, a proposta teve apenas três votos favoráveis, num universo acima da centena das unidades orgânicas presentes e perto de duzentos dirigentes.

O velho argumento de depois de nós o dilúvio. Apenas falta de…