Um “bom acordo”, nas palavras da ministra da Educação, Isabel Alçada. O “acordo possível”, segundo João Alvarenga, presidente da Associação de Estabelecimentos do Ensino Particular e Cooperativo (Aeep).

A verdade é que a verdade se dilui em acordos. Mas conseguiram quase adiar, noutro momento outros acordarão de outra forma. Ou seja, um governo de opereta resiste pouco a coreografias divergentes.