Alternativa

1 Projecto

Venho partilhar práticas, esquemas e conceitos alternativos. Partilhar apenas. Nada disto pretende ser único, completo e muito menos definitivo.

Outras didácticas serão possíveis, desde que funcionem e produzam os efeitos desejados, com eficácia (também aqui é importante o critério universal da economia). Porque o que aqui está em causa não é a escolha de uma qualquer didáctica, entre as muitas que possam existir, ao gosto de cada um. O que aqui está em causa é a necessidade de modelos de abordagem, unos (que não únicos), coesos e coerentes, que estruturem a comunicação, estruturando também, por essa via, o pensamento dos alunos do 2º ciclo do ensino básico. Se a escola não potenciar, nos seus educandos, essa condição de autonomia, alguém, mais tarde, os formatará, com facilidade e proveito próprio…

Retomemos, então, a ideia de projecto. Formalizá-lo é condição necessária; a coesão, a coerência e a consequência, atributos indispensáveis. Se o fizermos e o fizermos assim, teremos conseguido algo que, no mínimo e por estranho que pareça, é muito pouco visto no nosso ensino:

João de Brito