Edições nacionais de 1973 e 1974. A obra da direita padeceu do mal de ser lida depois da mais conhecida, mas mesmo assim permitiu uns dias valentes de evasão.