• Tratar da nossa vida, sem floreados e rodriguinhos, com uma atitude profissional em que se dá o que é exigível mas nem um minuto ou gota de transpiração a mais.
  • Não empatar a vida dos outros, seja por inépcia, pretensiosismo ou mera deformação de personalidade de quem só se sente bem se estiver ou se sentir acima.
  • Defender a nossa vida de empatanços externos, de forma profilática e pró-activa. Ou como eu costumo dizer, mostrar os cotovelos virados para fora.