Na RTP1, o noticiário abriu com a contestação judicial aos cortes salariais na administração pública. Pela Fenprof, Mário Nogueira anunciou para 5 de Janeiro a interposição de providências cautelares em meia dúzia de TAF contra a norma do OE que decreta o corte salarial – estratégia que acho menos correcta e que será meramente dilatória – e, caso nada mude, a 25 de Janeiro, os professores devem apresentar acções individuais contra a medida que lhes for aplicada – o que será a forma mais adequada, mesmo se demorada de fazer a coisa.

FENPROF prepara combate jurídico contra redução salarial

O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP) quer impedir a redução de salários na administração pública e vai avançar para os tribunais, revelou à TSF o presidente João Palma.